PREFEITA JULIANA ROQUE, FAZ BALANÇO DE SEUS QUATRO PRIMEIROS MESES DE MANDATO À FRENTE DA PREFEITURA DE PIMENTA BUENO.


Nesta semana, conversei com a prefeita Juliana Roque, sobre o que foi na sua visão, os primeiros 120 dias da atual gestão. A Prefeita definiu os seus quatro meses a frente da Administração Municipal como sendo, tempo de organização/adequação. De definir equipes de trabalho, de tomada de conhecimento da máquina administrativa, de identificação dos compromissos financeiros envolvendo convênios e contratos e de retomada de políticas públicas. A prefeita Juliana Roque pontuou ainda como importantes ações, à aquisição de medicamentos para o Hospital Ana Neta, destravando processos que não andavam e garantindo remédio à população. Volta do atendimento de ultrassom, de funcionamento dos postos de saúde do Distrito de Itaporanga e Bairro Bela Vista, de readequação do Caps com mudança de prédio para uma casa mais confortável, com entrada em funcionamento de duas creches com atendimento em tempo integral, da retomada pela Semast de atendimento aos moradores de rua, hidroginástica, aula de zumba e teatro para as pessoas da melhor idade. A Prefeita respondeu várias perguntas que vai traçando um diagnóstico do atual momento da gestão municipal de Pimenta Bueno e que você poderá conferir aqui.

1. QUAIS AS CONDIÇÕES ENCONTRADAS PELA GESTÃO AO ASSUMIR A PREFEITURA NESSE COMEÇO DE MANDATO? 

Encontramos várias obras em andamento e convênios não concluídos. Processos por finalizar, fornecedores que já havia entregado obras e que ainda não haviam recebido. Podemos citar como exemplo, a construção 37 casas do Encontro das águas, as obras da Avenida Cunha Bueno, Reforma do Centro de Saúde Maura Ferreira, reforma do Hospital Ana Neta e Prédio da Prefeitura por concluir. Nos deparamos também com uma situação difícil envolvendo as estradas da zona rural, boa parte sem acesso e outras com acesso restrito. Orçamento mal projetado, mais de 10 Termos de Ajustes de Conduta assinados com o Ministério Público para se cumprir, problemas na parte de organização do quadro de servidores (desvio de função), uma  situação que se arrasta ao longo de vários mandatos.

2. COMO VOCÊ ENCONTROU AS FINANÇAS DO MUNICÍPIO? 
Houve uma defasagem na arrecadação dos três primeiros meses deste ano, que segundo técnicos da contabilidade, colocou a nossa folha de pagamento dentro do limite considerado   tolerável. Estamos atuando dentro do permitido, mas precisamos fazer ajustes. Existe uma expectativa em relação a arrecadação proveniente do IPTU que está sendo entregue e que poderá reequilibrar a receita do município nos próximos meses. 

3. NA SUA OPINIÃO, QUAIS OS DESAFIOS DA ATUAL GESTÃO PARA OS PRÓXIMOS 100 DIAS? 
Nesse momento estamos focados na conclusão das obras em andamento e prestação de contas de convênios. Estamos ainda iniciando processo para garantir os recursos já disponibilizados para início de outras obras de grande importância para nossa população.  Faz parte do nosso desafio, acompanhar de perto as emendas alocadas para o município, buscar mais recursos federais e dar continuidade a organização do quadro de servidores. Melhorar Iluminação pública da cidade, realizar as obras de iluminação das marginais da BR e do nosso cemitério.  Fazer o recadastramento dos imóveis do município para fins de atualização da planta de valores dos imóveis. Resolver os TACS dos loteamentos que denominamos clandestinos e dar a atenção necessária a zona rural para que no próximo inverno não se repita as condições de tráfego deste ano.

4. QUAIS SERÃO OS PRINCIPAIS DESAFIOS QUE A ADMINISTRAÇÃO DEVE ENFRENTAR AO LONGO DESTE ANO? 
Vejo que precisamos melhorar a nossa receita, ajustar as despesas e promover o equilíbrio econômico e financeiro da nossa Administração para garantir a contrapartida dos convênios e investimentos que estão por vir. Temos ainda o desafio de destravar a gestão, tornando-a menos burocrática e mais transparente. Precisamos expandir a nossa área urbana, destravando investimentos imobiliários importantes como loteamentos que precisam ser legalizados e destravados pelo poder público.  Para isso é urgente promovermos algumas melhorias e definições do nosso código de obra. É prioridade também da nossa gestão com apoio do SEBRAE e parceria com os donos de balneários e locais de visitação pública investir na melhoria e divulgação desses espaços tornando-os, mais atrativos e mais conhecidos da nossa população.  

5. O QUE VOCÊ DEFINE COMO PRINCIPAL MEDIDA TOMADA NESSES PRIMEIROS QUATRO MESES DE MANDATO? 
A definição de competência, a retomada do controle e a descentralização administrativa, devolvendo cada processo às suas pastas de origem e secretarias, dando mais autonomia e responsabilidade  ao gestor de  cada processo interno. Considero importante ainda, a retomada do diálogo com a comunidade. De se fazer presente na prefeitura, atendendo e ouvindo as pessoas, conversando com as entidades, recebendo associações e lideranças dos setores rurais indo ao encontro das pessoas mais distantes, em suas comunidades. Enfim, considero que foram 120 dias de atenção a população e as suas necessidades.

6. QUAIS AS ÁREAS QUE MAIS CARECEM DE DE INVESTIMENTOS NO MUNICÍPIO? 
Penso que existem vários setores do município e da Administração que necessita de atenção especial. Não podemos perder o foco no saneamento básico e na saúde. Mas também não podemos perder de vista a necessidade de se construir mais moradias, de pavimentar mais ruas e avenidas e dar manutenção naquilo que já conquistamos. Estamos focados também no aspecto visual da cidade. Vamos terminar o plantio da grama nas marginais e realizar obras que melhore a vida das pessoas.

7. A PESAR DA CRISE É POSSÍVEL PROJETAR UM FUTURO MAIS TRANQUILO?
Escolhemos como lema da nossa gestão, “ Nós amamos nós cuidamos”. Isso inclui a cidade e seus habitantes.  Estamos empenhados na construção do PPA participativo com condições de execução. Precisamos pensar o nosso município para os próximos 20 anos, no aspecto visual, nos setores primordiais como: saúde, saneamento e no campo das obras. A população precisa participar desse processo para saber para onde estamos caminhando, com que recursos podemos contar, conhecendo e entendendo o tempo de cada etapa e projeto. Tudo isso sem desviar nossa atenção para os projetos de curto, médio e longo prazo. Dentro desse aspecto, nossa Administração está apoiando a implantação das câmeras de segurança na cidade, que pretende diminuir o índice de criminalidade e devolver o sossego e a tranquilidade aos nossos munícipes.
Um futuro mais tranquilo vai depender dos esforços que estão sendo empreendidos agora para equilibrar as finanças municipais e executar os projetos com os recursos das emendas parlamentares colocadas para o município de Pimenta Bueno.

8 FALANDO EM EMENDAS E RECURSOS, O QUE JÁ TEM ASSEGURADO NESSE SENTIDO?
Dentre os recursos assegurados, podemos citar por exemplo, 300 mil para compra de medicamentos, emenda do Deputado Cleiton Roque, 300 mil para compra de material didático, 300 mil para mobilidade urbana. 2 milhões e 500 mil reais para pavimentação asfáltica, emenda do Deputado Federal Lucio Mosquini. 1 milhão e 600 mil para a iluminação da BR 364, emenda do Deputado Federal Luís Claudio e outras emendas, compromissos das bancadas federais e estadual com vereadores de nosso município. 

9. QUE LEGADO ESTA GESTÃO PRETENDE DEIXAR NO FINAL DO MANDATO? 
Queremos deixar a marca de uma gestão voltada para o social, do cuidado com as pessoas, do compromisso com participação e a transparência no trato com a coisa pública. Queremos deixar a marca de uma gestão que vai investir e implantar projetos que melhore o aspecto físico da cidade, mas sobre tudo, a vida das pessoas. Uma gestão que recuperou a autoestima e o orgulho das pessoas em viver e morar aqui.

10. DAS OBRAS QUE JÁ ESTÃO COM PROCESSO EM ANDAMENTO, QUAL VOCÊ DEFINIRIA COMO AQUELA QUE VAI MUDAR A CARA DE PIMENTA BUENO?

Temos muitas obras em andamento que concluídas trarão grandes benefícios para a cidade. Dentre elas, a reforma do Hospital Ana Neta, a conclusão da nova rodoviária, o plantio de grama nas marginais da BR que com certeza serão muito bem avaliadas pela população. Mas temos um projeto que iremos dar continuidade que também considero de grande impacto social, que é, a construção da Orla Pimentense no bairro Jardim das Oliveiras, definindo como área de turismo, lazer e resolvendo o problema de alagamento naquela região. Pimenta Bueno é um município em construção, com grandes desafio e possibilidades. Quem ama cuida e nós vamos cuidar.

Postagens mais visitadas deste blog

HUMOR - Amo ocê !

UMA HOMENAGEM A QUEM TANTO SE DEDICOU A ARTE E A CULTURA DE PIMENTA BUENO

A FAMÍLIA DO BRUNO E DA VANESSA AGORA ESTÁ COMPLETA, O MIGUEL CHEGOU