Postagens

Mostrando postagens de Dezembro 19, 2008

LULA LIBERA MAIS RECURSOS PARA PIMENTA BUENO

2,3 Milhões foram liberados nos ultimos dias
Entre 14 de novembro e 14 de dezembro deste ano o Governo Federal liberou mais 2.349.099,71 ( Dois milhões, trezentos e quarenta e nove mil, noventa e nove reais e setenta e um centavos) para Pimenta Bueno.
Os recursos vieram dos Ministérios da Devesa, Integração Nacional, Saúde e Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a fome e fazem parte de convênios e emendas parlamentar.
Estes recursos estão sendo aplicados em obras de macrodrenagem, pavimentação asfaltica no Bairro Jardim das Oliveiras, construção de creche no Bairro Nova Pimenta, construção de Unidade de Saúde e compra de material de consumo.
Para pavimentação da Flávio da Silva Daltro e outras ruas do Bairro Jardim das Oliveiras, foram depositados 300 mil reais, emenda do Dep. Eduardo Valverde.
Outra emenda do Deputado Valverde foi liberada pelo Ministério da Defesa para Construção de creche na Nova Pimenta no valor de 220 Mil reais
185 mil é para construção de Unidade de Saúde cuj…

FÁTIMA CONTINUA LUTANDO PELA IMPLANTAÇÃO DO PISO SALARIAL NA EDUCAÇÃO

O Supremo Tribunal Federal (STF) garantiu ontem (17) o pagamento do piso salarial nacional para o magistério a partir de janeiro de 2009, estabelecido em R$ 950 para uma jornada de 40 horas conforme a lei
Mara Paraguassu - 2008-12-18 - 09:00:00 -

O Supremo Tribunal Federal (STF) garantiu ontem (17) o pagamento do piso salarial nacional para o magistério a partir de janeiro de 2009, estabelecido em R$ 950 para uma jornada de 40 horas conforme a lei nº 11739, sancionada em julho pelo presidente Lula, mas adiou a análise do mérito sobre o tempo de planejamento de aulas e classificação do piso como vencimento básico. O ministro Joaquim Barbosa, relator da Ação Direta de Inconstitucionalidade patrocinada pelos governadores de São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul e Paraná, através da qual pretendiam suspender a entrada em vigor do piso, votou pelo indeferimento da Adin, seguido pelo ministro Carlos Ayres Brito. Os demais ministros, com exceção de Marco Aurélio Mell…