Postagens

Mostrando postagens de Setembro 23, 2015

Covardia e barbárie: Tucano organiza bando para agredir Stedile em aeroporto de Fortaleza.

viomundo
NOTA DE SOLIDARIEDADE AO COMPANHEIRO JOÃO PEDRO STEDILE E AO MST O conjunto de movimentos sindicais, populares, pastorais sociais, parlamentares progressistas e intelectuais comprometidos com a luta do povo brasileiro, vem por meio desta nota prestar solidariedade ao companheiro João Pedro Stédile, histórico militante das lutas sociais do Brasil e da América Latina. Na noite do dia 22 de setembro, uma claque com aproximadamente 30 reacionários bradando gritos de ódio e diversos xingamentos atacou e agrediu o companheiro Stédile, que acabava de chegar no Aeroporto Pinto Martins, em Fortaleza – Ceará, convidado por diversas entidades para participar de um Congresso Sindical e de uma atividade sobre Reforma Política e combate à Corrupção. A ação comandada pelo empresário do ramo imobiliário Paulo Angelim, militante do Partido da Social Democracia Brasileira – PSDB, revela o que há de mais conservador e retrógrado na sociedade brasileira: um ódio de classe, antigo e anacrônico, mu…

Dieese: queda da proporção dos reajustes com ganho real no primeiro semestre

No primeiro semestre de 2015, a maior parte das negociações analisadas pelo Sistema de Acompanhamento de Salários do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (SAS-Dieese) conquistou reajustes salariais acima da inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC-IBGE). No entanto, os dados mostram uma sensível diminuição na proporção dos reajustes com ganho real frente ao observado nas mesmas categorias nos últimos oito anos: o aumento real médio também caiu e apresentou o menor valor desde 2008 (0,51%).  Segundo o Dieese, resultados como o do primeiro semestre de 2015 não eram observados desde 2004; por outro lado, os resultados de 2015 são melhores do que os registrados entre 1996 e 2003.

OIT: importância das micro e pequenas empresas na América Latina e Caribe

Relatório apresentado pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) oferece um panorama do emprego e dos desafios de trabalho decente de acordo com a estrutura das unidades produtivas na América Latina e Caribe. De acordo com os dados deste documento, as micro e pequenas empresas são majoritárias na região: do total de 11 milhões de empresas, estas respondem por mais de 10 milhões e geram 46,6% dos empregos na região (microempresas geram 27,8% do emprego e pequenas empresas 18,8%), sendo que as grandes empresas geram menos de 17% dos empregos.