Pular para o conteúdo principal

TEMER DA SINAL VERDE PARA SUA QUEDA VIA TSE

Jornal GGN - Acostumando-se com a quase inevitável saída antes do término oficial do mandato, Michel Temer analisa como fazê-lo sem ser "por baixo", o que ocorreria se fosse um impeachment ou uma renúncia, auto-admitindo uma responsabilidade do atual mandatário. Enquanto que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e o Supremo Tribunal Federal (STF) devem dar rumos ao caso, mas na lógica do tempo do Judiciário, somente no segundo semestre do ano, o peemedebista conforta-se em entregar a ambos esse papel.

Interlocutores do governo comentam que Michel Temer não se preocupa por deixar o posto do Planalto antecipadamente, mas sim com sua "honra". "O presidente não tem apego ao cargo, ele se preocupa com o nome dele. O que ele não quer é sair por debaixo do tapete. Por isso, a melhor saída é o TSE. Se o tribunal decidir pela cassação, é uma saída honrosa", disse um deputado aliado, segundo reportagem de O Globo.

A saída "honrosa" ocorreria se o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), antes articulado para estender o processo o máximo possível ou, ainda, dissociar o nome de Temer ao de Dilma na responsabilização isolada pelo caixa dois que alimentou a campanha, mas agora munido de provas já certeiras, cassar a chapa.


A tese da "separação" das contas, defendido o máximo que o mandatário pode alcançar, e que chegou a contabilizar o apoio de ministros da Corte, agora já é descartada pelas notas fiscais e comprovantes de transferências de propinas pagas pelos irmãos Batista, da JBS, diretamente a Temer.

Os próprios governistas já admitem o fracasso da teoria. Diante disso, com o processo arrastando-se desde 2015 na Justiça Eleitoral, alguns meses mais são calculados até que todos os ministros coloquem à mesa, sem pedidos de vista, as novas provas para o processo de cassação da chapa Dilma e Temer.

A retomada da sessão já foi marcada para o dia 6 de junho, pelo presidente do TSE, Gilmar Mendes. O mês já reservou outras datas para o julgamento do caso. Mas com as novidades, alguns ministros podem pedir novamente vista do processo, a fim de analisar as frentes de acusações. 

Em outra Corte, a Constitucional, os caminhos de Michel Temer também são traçados. Além da própria investigação contra o mandatário solicitada pelo procurador-geral da República, Janot pode oferecer uma denúncia penal contra o peemedebista, uma vez que os fatos investigados guardam também relação com o atual mandato. 

A Constituição prevê que um presidente da República não pode ser responsabilizado por atos alheios ao atual posto. Como a investigação traz indícios de prática de crimes por Michel Temer ainda dentro da função de presidente, o PGR poderá denunciá-lo no STF.

Além disso, outro tema de importância está previsto para análise na Suprema Corte: a regra de sucessão para casos de perda de mandato do presidente. A reforma eleitoral poderá ser discutida após o recesso forense, em agosto. Integrantes do STF entendem que a possibilidade de eleição indireta apenas se o cargo ficar vago a menos de seis meses do final do mandato é inconstitucional para a Presidência da República.

A decisão sobre diretas ou indiretas está nas mãos de Luis Roberto Barroso, relator da reforma aprovada pelo Congresso, que agora está em discussão no Judiciário. O ministro poderia fazer um pedido direto para a presidente da Corte, Cármen Lúcia, para incluir o processo na pauta ainda deste primeiro semestre, solicitação que tem poucas chances de ocorrer pelo relator.

O receio sempre marcado pelo Judiciário, seja na área Eleitoral ou na Suprema Corte, de não interferir diretamente em questões políticas, deve ser aliviado com a carta verde dada pelo presidente, Michel Temer, de que prefere entregar nas mãos da Justiça o seu futuro, do que sair por queda política.

Dessa forma, o posicionamento do mandatário será determinante para, nos próximos dias, verificar um gesto de maior protagonismo, tanto do TSE, quanto do STF, na crise política e nas decisões sobre a sucessão presidencial. 

Postagens mais visitadas deste blog

UMA HOMENAGEM A QUEM TANTO SE DEDICOU A ARTE E A CULTURA DE PIMENTA BUENO

Após nove anos de sua inauguração e sem condições de ser entregue a população, o Centro Cultural Antônio Augusto Neves foi reinaugurado nesta quinta feira, (23/11/2017). A reinauguração fez parte do rol de atividades e da programação que comemorou os 40 anos de emancipação político administrativo de Pimenta Bueno.
Dentre as tantas pessoas que sonharam e que esperaram por esta inauguração de fato, uma não estava presente, Valdinar de Souza Ferreira, uma das referências no meio artístico e cultural de Pimenta Bueno que perdeu a vida em um acidente de transito em julho de 2012 sem ver este projeto concluído.
Em meio a tantos homenageados e tantos agradecimentos às pessoas e autoridades que trabalharam e lutaram para que a cidade tivesse um espaço dedicado à arte e a cultura, Valdinar enfim foi lembrado e homenageado pela Vereadora Jordana Ferreira. Jordana fez questão de registrar  sua dedicação e amor pela arte e a cultura e lembrou  sua luta quase que  solitária em favor deste seguimen…

HUMOR - Amo ocê !

Declaração de amor a moda mineira.

Ocê é o colírio du meu ôiu.

É o chicrete garrado na minha carça dins.
É a mairionese du meu pão.
É o cisco nu meu ôiu (o ôtro oiu - eu tenho dois).
O rechei du meu biscoito.
A masstumate du meu macarrão.

Nossinhora!
Gosto dimais DA conta docê, uai.
Ocê é tamém:O videperfume DA minha pintiadêra.
O dentifriço DA minha iscovdidente.
Óiprocevê,
Quem tem amigossim, tem um tisôru!
Ieu guárdêsse tisouro, com todu carinho ,
Du Lado isquerdupeito !!!
Dentro do meu Coração!!!


AMO Ocê, uai!!!
Fassa favô de mandar pra todos seus amigus du coração
incrusive eu!!!


BRIGADO PELO CARIN cumqueu sempre pude contá!!!!

Contribuição da minha amiga Lucia.

A FAMÍLIA DO BRUNO E DA VANESSA AGORA ESTÁ COMPLETA, O MIGUEL CHEGOU

A chegada de um filho é sempre um momento único. Ainda mais quando é tão esperado como foi o caso do Miguel. Uma multidão de pessoas, amigos do casal Bruno e Vanessa estão em estado de graça por este acontecimento. Tivemos  a oportunidade, eu e Matilde,  de estar com eles em Alta Floresta à exatos  seis dias da chegada do Miguel e também de estar no Hospital São Paulo em Cacoal no dia em que ele nasceu. Registrei estes dois momentos que com certeza, serão inesquecíveis. O sorriso na cara e a batida do coração dava para ouvir e sentir à distância. Somente quem viveu o que eles estão vivendo sabe o tamanho desta emoção.