Pular para o conteúdo principal

PIMENTA BUENO CELEBRA A 4ª MISSA SERTANEJA


Quem não esteve lá, certamente ouviu falar do grande momento celebrativo que aconteceu no último sábado em Pimenta Bueno. Uma multidão vinda de todos os bairros da cidade, de municípios vizinhos e até de outros estados e países. Pessoas de outras igrejas e religião, gente  que passava pela cidade e ao tomar conhecimento do evento, resolveu passar por lá e participar da belíssima e animada celebração que já entrou para o calendário de grandes eventos tradicionais de Pimenta Bueno.

A Missa  sertaneja, como não poderia deixar de ser, transformou-se num momento de homenagem as pessoas que plantam, que cultivam a terra e produz o alimento que chega às nossas mesas. Foi também a oportunidade de agradecer ao homem e a mulher do campo, pela vocação de produzir para suprir as suas famílias e também as nossas. Mas não foi só isso. A Missa Sertaneja foi um grande momento de reflexão sobre os males que causamos a vida e a natureza com nosso poder de destruição. 

O Ato penitencial foi um momento forte. O barulho de um motosserra que entrou pelo corredor principal ascendeu o público presente. O ato seguiu com a derrubada de uma arvore, simbolizando a destruição das nossas florestas. O impacto ambiental foi notório. O ambiente da celebração foi altamente impactado com a cena daquela  árvore tombando sob golpes de motosserra. Ato este, repetido todos os dias na Amazônia e em muitos lugares do Brasil. Enquanto encenava a ação do homem contra o meio ambiente, a equipe de canto entoava a música Planeta Azul com a seguinte mensagem: “ a vida e a natureza sempre a mercê da poluição, se inverte as estações do ano, faz calor no inverno e frio no verão. Os peixes morrendo nos rios, estão se extinguindo espécies animais,  tudo que se planta colhe o tempo retribui o mau que a gente faz”.

O Gloria foi um momento de louvor e agradecimento a Deus, pelas pessoas
que cuidam do Planeta, que doam o seu tempo e suas forças em defesa da vida, que se preocupam em produzir alimentos sem agrotóxicos, que reciclam o lixo ao invés de jogá-los na natureza. Este cuidado foi marcado por uma família plantando uma arvore, uma espécie de convite a repetirmos o gesto em favor do planeta e das futuras gerações. A reflexão foi completada com a mensagem do evangelho de Mateus 20, onde Jesus compara o reino de Deus à um agricultor que saiu contratando trabalhadores para a sua vinha. Cada um trabalhou e completou uma jornada diferente, mas recebeu do agricultor a mesma recompensa. Frei Valdir explicou que a recompensa de Deus é do tamanho das nossas necessidades e seu critério de julgamento é diferente dos nossos.

Ao final, o público foi convidado a adentrar para o pátio da comunidade onde todo o espaço foi preparado para dar sequência a celebração. As crianças  ficaram encantadas com o lago natural cheio de peixes, a pescaria,  a casa de madeira onde as pessoas pousaram para fotos e relembraram o modelo de casa simples ainda muito presente nas propriedades rurais do nosso município. Os jovens cantaram e dançaram louvores entoados pela equipe de animação em um palco montado do lado de fora e todos aproveitaram para saborear comidas típicas e abraçar amigos e parentes que vieram para celebrar. O público de calças Jens, chapéu, camisa xadrez e botas de cano longo e salto alto, tomaram conta do ambiente que foi se transbordando de alegria e confraternização.

Postagens mais visitadas deste blog

PRIMAVERA DE RONDÔNIA SE DESPEDE DE MARIO ANTONIO DA SILVA, UM ILUSTRE PIONEIRO

Seu Mario, como costumava ser chamado, partiu na madrugada dessa sexta feira, 20/03/2020 após  complicações cirúrgicas. Foram 23 dias internado em Ji-Paraná, onde passou por  cirurgia para desobstrução de uma artéria. 
A seu pedido, seu corpo foi velado em sua própria residência na cidade de Primavera de Rondônia, sendo sepultado no cemitério local. Devido a proibição de aglomeração de pessoas por conta do Corona vírus, o tempo de velório foi reduzido e muitos amigos não puderam se fazer presente naquela que foi, sua ultima passagem pela cidade que sempre amou.
Em setembro, Seu Mario completaria 57 anos de casado com Dona Idelma Cunha da Silva, com quem teve 02 filhos, 02 filhas, 13 netos e 06 bisnetos.

Nascido na cidade de Santa Juliana, Minas Gerais, onde conheceu sua esposa Ildema, eles tiveram passagem por Goiás de onde saíram em 1981 para morar em Rondônia.Sua primeira parada foi na Fazenda 03 Bacuris na Linha 65, hoje, município de Parecis.Em 1984, Seu Mário adquiriu um sítio na…

JI-PARANÁ: PT REALIZA PRIMEIRA REUNIÃO DO NOVO DIRETÓRIO ESTADUAL

O encontro aconteceu ontem em Ji-Paraná com análise de conjuntura estadual e nacional, prestação de contas, apresentações e debate sobre as eleições municipais deste ano.
O presidente Anselmo de Jesus abriu a reunião agradecendo a presença dos novos membros do Diretório Estadual, convidados e simpatizantes que lotaram o plenário da Câmara Municipal de Ji-Paraná. Em seguida, passou a palavra ao Deputado Lazinho da FETAGRO que fez uma retrospectiva de sua ação parlamentar em 2019 e as expectativas para 2020.
Davi Nogueira e Mauro Porto realizaram uma belíssima reflexão sobre a guinada conservadora e o avanço do neoliberalismo com sua faceta antidemocrática instalada no Brasil. Davi conceituou a palavra ideologia e  apresentou o viés ideologico que norteia as decisões do governdo de extrema direita de Jair Bolsonaro.

Davi Nogueira lembrou o conceito sobre ideologia defendido por Karl Marx onde ele afirma que poderemos compreender a função implícita ou explícita da ideologia, sua tentat…

COMUNIDADE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA SE DESPEDE DE CELIMAR

Na Igreja onde ela sempre serviu, sua foto estava sobre o Altar. Lugar reservado a quem tem as mãos limpas, um coração puro, quem não é vaidoso e sabe amar. Era assim que os amigos e amigas que ali estavam a descrevia. No rosto de cada um e cada uma, se percebia estampada uma grande dor pela separação, mas no coração todos guardavam a certeza do seu encontro definitivo com Deus. Pois todo aquele que nele crer jamais morrerá.
Frei Romeu destacou a sua dedicação à comunidade, a firmeza e coragem com as quais enfrentou a doença. Ela não se deixou abater, não se entregou e não abandonou o serviço e a preocupação com os outros mesmo diante de toda a dificuldade imposta pelo tratamento e suas idas e vindas de Barreto. Frei Paulino também fez considerações ao grande exemplo de fé e dedicação de Celimar e lembrou aos presentes que não precisamos esperar o dia de finados para rezar e homenagear nossos entes queridos. A comunidade Nossa Senhora de Fatima tem uma Missa especial dedicados a ele…