Pular para o conteúdo principal

PIMENTA BUENO CELEBRA A 4ª MISSA SERTANEJA


Quem não esteve lá, certamente ouviu falar do grande momento celebrativo que aconteceu no último sábado em Pimenta Bueno. Uma multidão vinda de todos os bairros da cidade, de municípios vizinhos e até de outros estados e países. Pessoas de outras igrejas e religião, gente  que passava pela cidade e ao tomar conhecimento do evento, resolveu passar por lá e participar da belíssima e animada celebração que já entrou para o calendário de grandes eventos tradicionais de Pimenta Bueno.

A Missa  sertaneja, como não poderia deixar de ser, transformou-se num momento de homenagem as pessoas que plantam, que cultivam a terra e produz o alimento que chega às nossas mesas. Foi também a oportunidade de agradecer ao homem e a mulher do campo, pela vocação de produzir para suprir as suas famílias e também as nossas. Mas não foi só isso. A Missa Sertaneja foi um grande momento de reflexão sobre os males que causamos a vida e a natureza com nosso poder de destruição. 

O Ato penitencial foi um momento forte. O barulho de um motosserra que entrou pelo corredor principal ascendeu o público presente. O ato seguiu com a derrubada de uma arvore, simbolizando a destruição das nossas florestas. O impacto ambiental foi notório. O ambiente da celebração foi altamente impactado com a cena daquela  árvore tombando sob golpes de motosserra. Ato este, repetido todos os dias na Amazônia e em muitos lugares do Brasil. Enquanto encenava a ação do homem contra o meio ambiente, a equipe de canto entoava a música Planeta Azul com a seguinte mensagem: “ a vida e a natureza sempre a mercê da poluição, se inverte as estações do ano, faz calor no inverno e frio no verão. Os peixes morrendo nos rios, estão se extinguindo espécies animais,  tudo que se planta colhe o tempo retribui o mau que a gente faz”.

O Gloria foi um momento de louvor e agradecimento a Deus, pelas pessoas
que cuidam do Planeta, que doam o seu tempo e suas forças em defesa da vida, que se preocupam em produzir alimentos sem agrotóxicos, que reciclam o lixo ao invés de jogá-los na natureza. Este cuidado foi marcado por uma família plantando uma arvore, uma espécie de convite a repetirmos o gesto em favor do planeta e das futuras gerações. A reflexão foi completada com a mensagem do evangelho de Mateus 20, onde Jesus compara o reino de Deus à um agricultor que saiu contratando trabalhadores para a sua vinha. Cada um trabalhou e completou uma jornada diferente, mas recebeu do agricultor a mesma recompensa. Frei Valdir explicou que a recompensa de Deus é do tamanho das nossas necessidades e seu critério de julgamento é diferente dos nossos.

Ao final, o público foi convidado a adentrar para o pátio da comunidade onde todo o espaço foi preparado para dar sequência a celebração. As crianças  ficaram encantadas com o lago natural cheio de peixes, a pescaria,  a casa de madeira onde as pessoas pousaram para fotos e relembraram o modelo de casa simples ainda muito presente nas propriedades rurais do nosso município. Os jovens cantaram e dançaram louvores entoados pela equipe de animação em um palco montado do lado de fora e todos aproveitaram para saborear comidas típicas e abraçar amigos e parentes que vieram para celebrar. O público de calças Jens, chapéu, camisa xadrez e botas de cano longo e salto alto, tomaram conta do ambiente que foi se transbordando de alegria e confraternização.

Postagens mais visitadas deste blog

UMA HOMENAGEM A QUEM TANTO SE DEDICOU A ARTE E A CULTURA DE PIMENTA BUENO

Após nove anos de sua inauguração e sem condições de ser entregue a população, o Centro Cultural Antônio Augusto Neves foi reinaugurado nesta quinta feira, (23/11/2017). A reinauguração fez parte do rol de atividades e da programação que comemorou os 40 anos de emancipação político administrativo de Pimenta Bueno.
Dentre as tantas pessoas que sonharam e que esperaram por esta inauguração de fato, uma não estava presente, Valdinar de Souza Ferreira, uma das referências no meio artístico e cultural de Pimenta Bueno que perdeu a vida em um acidente de transito em julho de 2012 sem ver este projeto concluído.
Em meio a tantos homenageados e tantos agradecimentos às pessoas e autoridades que trabalharam e lutaram para que a cidade tivesse um espaço dedicado à arte e a cultura, Valdinar enfim foi lembrado e homenageado pela Vereadora Jordana Ferreira. Jordana fez questão de registrar  sua dedicação e amor pela arte e a cultura e lembrou  sua luta quase que  solitária em favor deste seguimen…

HUMOR - Amo ocê !

Declaração de amor a moda mineira.

Ocê é o colírio du meu ôiu.

É o chicrete garrado na minha carça dins.
É a mairionese du meu pão.
É o cisco nu meu ôiu (o ôtro oiu - eu tenho dois).
O rechei du meu biscoito.
A masstumate du meu macarrão.

Nossinhora!
Gosto dimais DA conta docê, uai.
Ocê é tamém:O videperfume DA minha pintiadêra.
O dentifriço DA minha iscovdidente.
Óiprocevê,
Quem tem amigossim, tem um tisôru!
Ieu guárdêsse tisouro, com todu carinho ,
Du Lado isquerdupeito !!!
Dentro do meu Coração!!!


AMO Ocê, uai!!!
Fassa favô de mandar pra todos seus amigus du coração
incrusive eu!!!


BRIGADO PELO CARIN cumqueu sempre pude contá!!!!

Contribuição da minha amiga Lucia.

A FAMÍLIA DO BRUNO E DA VANESSA AGORA ESTÁ COMPLETA, O MIGUEL CHEGOU

A chegada de um filho é sempre um momento único. Ainda mais quando é tão esperado como foi o caso do Miguel. Uma multidão de pessoas, amigos do casal Bruno e Vanessa estão em estado de graça por este acontecimento. Tivemos  a oportunidade, eu e Matilde,  de estar com eles em Alta Floresta à exatos  seis dias da chegada do Miguel e também de estar no Hospital São Paulo em Cacoal no dia em que ele nasceu. Registrei estes dois momentos que com certeza, serão inesquecíveis. O sorriso na cara e a batida do coração dava para ouvir e sentir à distância. Somente quem viveu o que eles estão vivendo sabe o tamanho desta emoção.