Pular para o conteúdo principal

É hora de pensar na governabilidade

Companheiros e companheiras,

Como já dissera José Nivaldo Junior, “poder é tensão permanente. É disputa que não cessa. É jogo sem intervalo. Por mais absoluto que ele aparenta ser, por mais sólido que seja seus fundamentos, o mando coexiste com ameaças que nunca se extinguem e com necessidades de recomposições que nunca se esgotam”.

O poder está novamente em jogo. Nós que ousamos eleger o primeiro operário Presidente, temos agora o privilegio de também poder eleger a primeira mulher. Mas esta não é uma batalha entre um homem e uma mulher, é um duelo entre dois projetos totalmente antagônicos. De um lado possibilidade de continuar mudando o Brasil. Fazendo inclusão social, respeitando o patrimônio publico nacional e fazendo do Brasil, um país de todos. De outro, o perigo de retroceder. De voltar as tensões das privatizações, a tentação do lucro fácil, a volta da especulação financeira, dos privilégios privados nacionais e internacionais, da repressão aos movimentos sociais e supressão de direitos e conquistas de anos de luta da classe trabalhadora.

A direita entrou no vale tudo da disputa, tentam sufocar nosso projeto, tentam nos intimidar nos debates, caluniando o PT e manobram contra a eleição da Dilma. No horário eleitoral gratuito, aparecem ao lado de Lula para confundir o eleitor. Não vamos aceitar, não vamos nos enganar e nem deixar que engane nosso povo. Usem todas as ferramentas possíveis e que estiver ao alcance de vocês para restabelecer a verdade, sempre que ela faltar ou estiver ameaçada.
Adicionar legenda

As pesquisas indicam nossa vitória no primeiro turno. Mas não basta ganhar a presidência. O poder é vertical e o parlamento está na base da pirâmide. Deputados e Senadores tem poder para sustentar ou para derrubar o governo, para ampliar ou para derrubar nossas conquistas.

Para garantir tranqüilidade e governabilidade, precisamos eleger o maior numero possível de Deputados Federais, Estaduais, Senadores e Governadores que estão do lado do Lula da Dilma e do nosso lado.

Precisamos nos conscientizar de que a disputa termina nas urnas e recomeça nos bastidores do Congresso Nacional. “ poder é tensão permanente. É disputa que não cessa. É jogo sem intervalo”. Eles não irão aceitar passivamente a derrota nas urnas e vão tentar se vingar, virar o jogo na disputa institucional. Por esta razão, temos que evitar a eleição de deputados e senadores do PSDB, PPS, DEM e seus asseclas. Para não correr risco, vote no PT. Fazer maioria é a única condição para não sermos atropelados por esta direita raivosa e revanchista no Congresso Nacional. Não vote na oposição, mesmos que o candidato seja seu maior amigo. Seu amigo sem querer, poderá estar contribuindo com a eleição de um inimigo de nossas causas.

É por esta razão, que quero mais uma vez reforçar o voto no PT. Para o Brasil seguir mudando faz se necessária a eleição do Companheiro Eduardo Valverde Governador 13. Que a Senadora Fátima Cleide 133 retorne ao Senado Federal. Precisamos reforçar esta base com a eleição da companheira Marlene Parra 1360 como Deputada Federal e Alessandra Vidigal 13.451 como deputada Estadual.

Contamos com você!

Um grande e forte abraço do amigo e companheiro de sempre,

Joaquim Lopes Louredo

Postagens mais visitadas deste blog

PIMENTA BUENO - A DIFÍCIL TAREFA DE EQUILIBRAR AS CONTAS PÚBLICAS

FAZENDO AS CONTAS
Antes de iniciar este texto, preciso deixar claro minha posição em relação a atual gestão municipal e as pessoas do Prefeito e Vice-Prefeito de Pimenta Bueno. Em que pese estarmos de lados opostos no campo ideológico, devo dizer que cultivo um grande respeito e uma ótima relação com o Prefeito Arismar e seu Vice-prefeito, Valteir. Nada do que eu disser aqui, terá relação com a pessoa do prefeito e muito menos com seu mandato que acaba de iniciar. Vou tentar ser o mais imparcial possível e se não parecer, desculpe-me, pela visão.
Pimenta Bueno inicia 2019 com nova gestão e velhos problemas, uma pauta que inclui:
·Reajuste do IPTU
·Descontentamento da população com a situação das ruas e estradas
·Reclamação de mau atendimento no hospital Ana Neta
·Demissão de professores
·Corte na gratificação de servidores da educação em cargos gratificados
·Pressão dos professores em sala de aula por gratificação de 5% sobre os seus vencimentos
·Pressão do Legislativo sobre o Executivo por m…

COMUNIDADE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA SE DESPEDE DE CELIMAR

Na Igreja onde ela sempre serviu, sua foto estava sobre o Altar. Lugar reservado a quem tem as mãos limpas, um coração puro, quem não é vaidoso e sabe amar. Era assim que os amigos e amigas que ali estavam a descrevia. No rosto de cada um e cada uma, se percebia estampada uma grande dor pela separação, mas no coração todos guardavam a certeza do seu encontro definitivo com Deus. Pois todo aquele que nele crer jamais morrerá.
Frei Romeu destacou a sua dedicação à comunidade, a firmeza e coragem com as quais enfrentou a doença. Ela não se deixou abater, não se entregou e não abandonou o serviço e a preocupação com os outros mesmo diante de toda a dificuldade imposta pelo tratamento e suas idas e vindas de Barreto. Frei Paulino também fez considerações ao grande exemplo de fé e dedicação de Celimar e lembrou aos presentes que não precisamos esperar o dia de finados para rezar e homenagear nossos entes queridos. A comunidade Nossa Senhora de Fatima tem uma Missa especial dedicados a ele…

Mudança de regime jurídico volta à ordem do dia em Pimenta Bueno e assusta os servidores e servidoras municipais.

Nos dias atuais, falar em mudança no âmbito dos governos Federal, Estadual e Municipal é falar em corte de direitos. Mudanças que sempre tira beneficios de quem mais trabalha e menos ganha. Foi assim com a reforma trabalhista, com a PEC dos gastos publicos  e assim será com a reforma da previdência aqui e ali. É a consolidação do Estado mínimo que vai cortando  os pobres e os trabalhadores do Orçamento público e retirando dos menos favorecidos  o pouco de dignidade  que ainda lhes restam. 
Conversei com alguns servidores na semana passada sobre a pretensão do executivo local de ressuscitar o debate sobre a mudança do regime jurídico dos servidores celetistas para estatutário e vou reproduzir aqui algumas opiniões que ouvi a respeito do assunto sem revelar as fontes como prometi a eles. 
A primeira questão que levantei, foi sobre as razões que sempre levam os prefeitos em início de mandato a ventilar esta possibilidade de mudança e eles responderam assim: 
A resposta é simples, querem…