PIMENTA BUENO TEM REENCONTRO COM IRMÃ AUGUSTA.


Quando cheguei aqui em 1984 ela já havia deixado a cidade. A jovem italiana de nome Augusta que escolheu se dedicar a vida religiosa, acreditava e continua acreditando na religião libertadora. Liberdade de ideias e de expressão era algo proibido na década de 70 quando ela aqui chegou. O país vivia em plena ditadura militar.
Como professora, irmã Augusta foi expulsa da escola Raimundo Euclides Barbosa durante aquele estado de exceção. Da escola sem partido, do município sem partido, do estado sem partido de um país sem partido. O presidente da república era eleito pelos deputados, que indicava o governador, que indicava o prefeito que dominava o povo. Os contrários ao regime eram perseguidos, torturados, assassinados ou expulsos de suas cidades ou do país.
Irmã Augusta foi convidada a participar da 30ª Romaria da Bíblica, cuja história conheceu de perto e aproveitou para celebrar seus 50 anos de vida religiosa, recordando aqueles acontecimentos e os conselhos que sua mãe lhe deu por ocasião da escolha que fez. Ela lembrou que sua mãe a levou na periferia da cidade, apontou o dedo em direção aquelas pessoas simples, humildes e necessitadas e disse, dedica sua vida a eles, se a igreja que você servir não tiver este rosto, não será a igreja de Jesus Cristo.
Cercada por amigos e pessoas da comunidade, crianças que hoje são adultos e  que foram seus alunos na escola e de catequese e acompanhada das irmãs Neusa, Dolores e Clara que também estiveram na Romaria da Bíblia, Irmã Augusta celebrou e comemorou seus 50 anos de vida religiosa com a mesma convicção, com a mesma consciência e com o mesmo compromisso que assumiu a meio século, Irmã Augusta nos deixa uma lição de vida, de fé e de esperança num momento em que vemos ameaçado o Estado de Direito, a democracia e um golpe parlamentar que tenta impor retrocesso na educação, no combate à pobreza, o preconceito, o racismo e a ressuscitar a intolerância contra as organizações populares e sociais. Irmã Augusta veio nos animar, nos ensinar a persistir e acreditar numa religião libertadora, que tenha a cara dos mais pobres, fracos e oprimidos.

Postagens mais visitadas deste blog

HUMOR - Amo ocê !

UMA HOMENAGEM A QUEM TANTO SE DEDICOU A ARTE E A CULTURA DE PIMENTA BUENO

A FAMÍLIA DO BRUNO E DA VANESSA AGORA ESTÁ COMPLETA, O MIGUEL CHEGOU